A Arte da Sedução

Se a arte da sedução é prometer tudo para conseguir seus objetivos não pretendendo cumprir nada do que foi prometido, creio que se possa dizer tudo de um cão, menos que seja um ser sedutor.

Na verdade ele é o oposto disso. Ele cumpre tudo o que prometem seus gestos e seus olhares, sem pedir nada em troca, basta lhes dar um mínimo de atenção.

Essa talvez seja a maior diferença do gato para o cão.

Alguns gatos são realmente sedutores na medida em que se enroscam aos seus pés e parecem oferecidos, mas no minuto em que você corresponde tentando pegá-los, por exemplo, para colocar no colo, imediatamente fazem força para sair, não raro até com alguma demonstração nítida de desagrado.

Nada contra a atitude do cão, um fã incondicional de seus donos, ou com a do gato, um verdadeiro sedutor no sentido mais correto desse adjetivo como começamos essa coluna explicando o nosso ponto de vista. Essa é mais uma das diferenças que leva a discussões intermináveis entre os defensores mais radicais de cada uma das espécies.

Comentários positivos que qualificam o gato como independente, com grande personalidade, indômitos, e tantos outros, e negativos como sem ligação com seus donos ou apenas com sua casa, são exatamente derivados desse domínio que o gato tem da arte da sedução.

Já o cachorro é um eterno romântico apaixonado que perdoa tudo de seus donos só para ter o prazer de um carinho que seja. O oposto da ação do gato.

Sua experiência será única!

É claro que caso você resolva adotar ou comprar um animal de estimação, muito mais do que conhecer e ler o que se escreve sobre uma ou outra espécie, nada será mais importante na sua escolha do que a imediata empatia que se estabelece quando você coloca os olhos naquele ser que você vai levar para sua casa para ser sua companhia por, esperamos, muitos e muitos anos, independente de sua espécie.

Não se deixe nunca contaminar por comentários negativos sobre comportamento de uma ou outra espécie, afinal assim como nós mesmos, cada cão e cada gato são indivíduos únicos, com suas qualidades e seus defeitos. Mas não se esqueça do que eu lhes afirmo, a sedução é uma arma do gato, talvez por isso errada e injustamente associado com a figura do diabo.

Autor: Carlos Fernando C. Motta
Escrito em: setembro/2015