O Gato Preto – Mitos e Lendas

Desde o Egito, os gatos, especialmente os de pelagem negra, ocupam um lugar especial nas histórias, lendas e associação à feitiçaria.
No Egito antigo eram adorados havendo até um deus de nome Blat com sua forma, por isso recebiam tratamento dignos de um faraó e chegavam a ser mumificados após sua morte.

De deuses a animais associados a mau agouro e parceiros de bruxos na Idade Média, quando qualquer fenômeno mais complexo era logo associado ao sobrenatural, séculos de lendas e histórias vieram constituindo em todas as partes do mundo, um rico folclore, sobre o gato preto sem paralelo no reino animal.

Curioso é que em vários países e regiões europeias, o gato preto está ligado também a fatos e mitos positivos, mas muito menos divulgados, a exemplo de regiões na França aonde tratar e manter um gato preto traz sorte.

O fato é que o gato preto se destaca dos das demais pelagens, no meu ponto de vista por passar a impressão de ser ainda mais esquivo do que os outros nada mais óbvio do que pelo fato de ser difícil enxerga-lo a noite.

Imagino a luz bruxuleante de velas, um pouco mais de um século atrás, o que devia ser cruzar com um gato preto na rua esquivando-se pelos becos a caça de ratos, então verdadeiras pragas nas cidades, com seus olhos brilhando na escuridão e seus movimentos felinos.
Devia ser mesmo de gelar o sangue, ainda que racionalmente estivessem colaborando com a saúde pública e só por essa razão devessem ser exaltados.

Ainda hoje sobrevivem os mitos e lendas, apesar de não haver nenhuma diferença real entre gatos que possa ser atribuída a cor de sua pelagem.

Constatamos no nosso trabalho que existem pessoas que só adotam gatos pretos, outras que jamais adotariam um, mas pelo sim pelo não, a doação de um gato preto nos exige sempre uma melhor avaliação do adotante para evitar um hipotético risco de que sejam utilizados em ritos e sessões de magia.

Nos pessoalmente nunca vimos ou tivemos qualquer contato com animais submetidos a sessões de magia negra, mas seguro morreu de velho, e se for adotar um gato preto conosco prepare-se para responder um bom interrogatório.

Autor: Carlos Fernando C. Motta
Escrito em: fevereiro/2016